• Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
Sedação Paliativa

“O sofrimento humano só é intolerável quando ninguém cuida."

Cicely Saunders

   Sedação paliativa é a utilização monitorada de medicamentos com o intuito de aliviar sintomas graves refratários - sejam eles de ordem física, espiritual e/ou psicossocial - em pacientes com diagnóstico de doença terminal, por meio da indução de graus variáveis de inconsciência. O objetivo primordial é promover conforto e aliviar o sofrimento, e não acelerar a morte. Há dados suficientes na literatura que comprovam que a sedação paliativa adequadamente indicada e administrada não reduz o tempo de vida dos pacientes. Trata-se, portanto, de uma medida eficaz de promoção de alívio em situações específicas de sofrimento irreversível.

   Sua indicação correta é talvez a questão mais desafiadora do processo, e está associada ao diagnóstico adequado de um sintoma grave e refratário, caracterizado como absolutamente intolerável pelo paciente e que preencha um dos critérios a seguir:

- as intervenções terapêuticas adicionais disponíveis não serão capazes de promover alívio adequado;

- as intervenções terapêuticas adicionais disponíveis estão associadas a efeitos adversos excessivos ou intoleráveis;

- intervenções terapêuticas adicionais não serão capazes de promover alívio num período de tempo aceitável.

   Caso nenhum dos critérios acima esteja presente, o sintoma não deve ser considerado refratário, devendo-se portanto instituir outras medidas terapêuticas antes de uma eventual indicação de sedação paliativa. A avaliação do sintoma deve ser feita, preferencialmente, por uma equipe capacitada em Cuidados Paliativos, evitando-se assim o diagnóstico precoce de refratariedade ao tratamento.

Referências

Maltoni M, Pittureri C, Scarpi E. Palliative sedation therapy does not hasten death: results from a prospective multicenter study. Ann Oncol, 2009. 20:1163-69.

Maltoni M, Scarpi E, Rosati M. Palliative sedation in end-of-life care and survival: a systematic review. J Clin Oncol, 2012. 30:1378-83.

Beller E, Van Driel M, McGregor L. Palliative pharmacological sedation for terminally ill adults. Cochrane Database Syst Rev, 2015. 1:CD10206.

Cowan J, Palmer T. Practical guideline for palliative sedation. Current Oncol Rep, 2002. 4:242-49.

Chater S et al. Sedation for intractable distress in the dying: a survey of experts. Palliat Med, 1998. 12:255-69.

Coradazzi AL, Santana MTEA, Caponero R. Cuidados Paliativos: diretrizes para melhores práticas. 1ª Edição. Ed. MG Editores. São Paulo, 2019.